segunda-feira, novembro 06, 2006

Passageiro do Vento



Passageiro do Vento
2001
Óleo em Tela
1,00 x 0,45

"...Passageiro do Vento
ergue o seu conjuro
de extático silêncio

Tempera com amor quente
o Ser que na eternidade vibra
Desnudo e revelado

Tensa é a noite
Onde Deus acende a sua chama..."

***************

"A vida é uma comédia para aqueles que pensam e uma tragédia para aqueles que sentem"
Horace Walpole


Vivam a beleza da comédia da vida
Como passageiros do vento que são.
Nunca o esqueçam.
Passamos por este mundo como um sopro de vento, uma pequena brisa.



Beijos a quem é de beijos, abraços a quem é de abraços

9 comentários:

Klatuu o embuçado disse...

Bonito!
(Mas já ninguém lê o Horace.. só os góticos!)
:)

Anónimo disse...

Lindo...

Andreia do Flautim disse...

Bonito quadro:)

mfc disse...

A vida é para ser vivida..."tout court".
...o quadro induz-nos a isso!

Bel disse...

Por momentos transportei me para o quadro. Parecia que a queda de agua era diriida a mim. adorei o quadro mesmo
beijo e boas telas

Unicus disse...

Acho que se calhar nem passamos por esta vida. Temos apenas a ilusão de que passamos.
Adorei a pintura.
Beijos

pequenita (quando o teu corpo e o meu) disse...

Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo que acredito não me tape os ouvidos e a boca.
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.

Que a música que eu ouço ao longe seja linda, ainda que triste.
Que a mulher que eu amo seja sempre amada, mesmo que distante.
Porque metade de mim é partida e a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimento.
Porque metade de mim é o que eu ouço, mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço.
Que essa tensão que me corroe por dentro seja um dia recompensada.
Porque metade de mim é o que eu penso e a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste, que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto o doce sorriso que eu me lembro de ter dado na infância.
Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade eu não sei...

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito.
E que o teu silêncio me fale cada vez mais.
Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba.
E que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer.
Porque metade de mim é a platéia e a outra metade, a canção.

E que minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é amor e a outra metade... também..

beijocassss Pequenita

pequenita (quando o teu corpo e o meu) disse...

Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo que acredito não me tape os ouvidos e a boca.
Porque metade de mim é o que eu grito, mas a outra metade é silêncio.

Que a música que eu ouço ao longe seja linda, ainda que triste.
Que a mulher que eu amo seja sempre amada, mesmo que distante.
Porque metade de mim é partida e a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor,
Apenas respeitadas como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimento.
Porque metade de mim é o que eu ouço, mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora se transforme na calma e na paz que eu mereço.
Que essa tensão que me corroe por dentro seja um dia recompensada.
Porque metade de mim é o que eu penso e a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste, que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável.
Que o espelho reflita em meu rosto o doce sorriso que eu me lembro de ter dado na infância.
Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade eu não sei...

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria para me fazer aquietar o espírito.
E que o teu silêncio me fale cada vez mais.
Porque metade de mim é abrigo, mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta, mesmo que ela não saiba.
E que ninguém a tente complicar porque é preciso simplicidade para fazê-la florescer.
Porque metade de mim é a platéia e a outra metade, a canção.

E que minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é amor e a outra metade... também..

beijocassss Pequenita

Anónimo disse...

Ana achei lindo seu quadro. Adoro corujas. Como passageira do vento voarei até a eternidade...
Beijos eternos.