terça-feira, outubro 03, 2006

Entre o dia e a noite (Díptico)



Entre o dia e a noite (Díptico)
0,50 x 0,50 (x2)
2003
Óleo em Tela

Neste quadro quis que o olhar fosse levado a "viajar" entre o dia e a noite.

Sugeri a leveza e a graciosidade através das borboletas para demonstrar que por muito bom ou mau um dia tenha sido, pelo menos, temos a felicidade de sentir o que de facto mais belo possuimos: a Vida.

Não se esqueçam.
Amanhã, dia 4 de Outubro às 17 horas, inaugura a minha exposição de pintura, conforme informo no convite que coloquei há dias atrás no blog.
Gostava da vossa presença.

Beijos mágicos.
Ana Garrett

13 comentários:

Crónicas de Ariana disse...

Muito lindo!
Não vou poder estar presente.

BJS :)

Delfim Peixoto disse...

Lindo...
bjs doces

Andreia do Flautim disse...

E as borboletas tanto voam de dia como de noite!

Jo§e disse...

Pena não poder estar presente.
Talvez numa próxima oportunidade...

Um beijo com o desejo que seja um sucesso.

Anónimo disse...

Vim te agradecer por tua visita na Lâmina...

Obrigada e volte sempre!!! É um prazer!!!

Beijo,
Cris

TRILHAS&TERRAS = Homem em Movimento disse...

A Cris do anônimo, sou eu...Cristina Oliveira, do Trilhas & Terras, Lamina D'Água e Silêncio...

Poderás visitar os três e não sei a razão de eu ter aparecido como anônima, mas enfim...

Beijo,
Cris

RPM disse...

olá Ana.....

espero que hoje tenha corrido bem a inauguração da exposição...felicidades e coisas boas para Vós, família....

quanto ao díptico....a luz e a fragilidade, nas borboletas....

és assim uma mulher frágil?

beijinho

RPM

Tó Luis disse...

Olá Ana...tudo bem?
Não tem problema nenhum a tua ausência , claro que desejo que tenhas uma ocupação pelo lado positivo tudo mais vai passar assim o espero...
Quero desde já saudar-te pela exposição naturalmente com o sucesso desejável e com certeza que isso vai acontecer...

Beijinhos Ana , tudo de bom e parabens pelo trabalho pela imaginação e dedicação...

Cintia de Souza disse...

Parabéns!!!!
Muito lindo... Chega a parecer clichê, mas o q dizer diante de tamanha originalidade além de ressaltar a sua beleza?
Muito obrigada,

Bjs!

Ces disse...

Ana, I wish I can Portuguese. I am so interested in what you have to say about your fanstastic art.

Sophia disse...

Vim retribuir a visita...
Adorei :)

GNM disse...

Desapareceram as borboletas do meu caleidoscópio poético.

(...)

Tudo é deserto, abafado, irrespirável,
mar infinito de areia fervente.
Tudo é gente arrastando-se
por montanhas de luto e vales de sombra.

Luís disse...

Lindo... Relembra-me um excerto de "Cem Anos de Solidão" do G. Garcia Marquez. As borboletas são a presença do amor ausente.