sábado, julho 29, 2006

Draco Constelation



Olá de novo, caminhantes blogueiros.

Draco Constelation
medidas: 1,00 x 0,60
Óleo sobre Tela
1999

Este quadro que vos trago é um daqueles que eu chamo de "entre quadros".
Ou seja, saiu por instinto. Sem nada definido, delineado, preparado. Apeteceu-me fazer enquanto estava preparando outros.

É a minha representação da Constelação do Dragão.
É uma das 88 Constelações modernas. E uma das 44, de Ptolomeu.
A estrela Thuban (Draconis) era a estrela do Polo Norte cerca de 2700 anos antes de Cristo, durante a época dos antigos egipcios.
É a estrela mais brilhante da Constelação de Draco.

Estes quadros quando me saem sem nada definido dão-me imenso prazer.
Como exemplo do que digo, deixo-vos mais uma história de Chuang Tzu, mas desta vez preparada e adaptada por mim à pintura.

"Pintar é como uma dança.
Os movimentos da mão, os jeitos do ombro, os movimentos dos pés, o som do pincel ao ser mergulhado e o amaciar a tela com a tinta, tudo num ritmo perfeito. Como se fosse uma dança ou uma sinfonia.
Temos de procurar agir de acordo com o Tao, a ordem natural das coisas.
É algo que está para além da técnica.
Quando comecei, via à minha frente uma tela enorme, branca, e não conseguia diferenciar os pormenores do que ia pintar.
Mas depois de, mais ou menos, três anos de prática já não via o que ia pintar como um todo.
Via as cores que compunham um pormenor.
Via as distinções.
E agora os meus sentidos param de funcionar e é o espirito que me guia livremente.
Seguindo o instinto, sigo o caminho natural deixando o pincel encontrar o seu rumo entre as muitas opções escondidas, tirando proveito do que lá está, naquela tela a princípio vazia, branca, sem nunca tocar num pormenor que descobri ou numa situação que pintei. Importante.
Um bom pintor usa a sua pincelada até à exaustão porque sabe o que quer, enquanto um pintor medíocre tem de a mudar constantemente porque só sabe... pintar.
Pintar é deixar um pouco da sua alma.
Ou mesmo toda.
Com a minha pincelada já pintei centenas de quadros, e mesmo mudando de tema, ela está fresca, é reconhecida por quem conhece o meu trabalho, mesmo não sabendo de quem é a obra exposta.
É por isso que passado estes anos todos, a pincelada continua com alma, está fresca.
É verdade que há pormenores mais difíceis.
Quando os sinto aproximar, avalio bem o pormenor que surgiu e olho-o com cuidado, mantendo sempre os olhos no que faço e trabalhando devagar.
E então com movimentos suaves, pinto-o na tentativa da perfeição.
E ele “desmancha-se” como um torrão de terra ao cair no chão.
Aí retiro a mão e fico parada, com a sensação de ter conseguido algo muito importante.
Depois lavo o pincel e deito-o ao meu lado.

Comentário:
Há um modo natural de fazer as coisas, há soluções naturais para os problemas.
Se agirmos de acordo com a natureza das coisas - o Tao -, conseguimos fazer tudo melhor e sem que isso nos crie nenhum problema.
Continuaremos sempre frescos como a pincelada do pintor.
Perante qualquer problema, devemos aceitar que as coisas sejam como são sem desejar que a situação fosse outra, diferente do que na realidade é. Porque isso só iria criar resistência e tensão.
Devemos prestar atenção à ordem natural das coisas e trabalhar com ela em vez de contra ela.
E veremos que o trabalho prossegue mais rápida e facilmente se pararmos de "tentar", de pôr demasiado esforço extra, de procurar resultados rápidos.
Há que simplesmente "dar uma ajuda" para que as soluções naturais ocorram."

Isto adapta-se a tudo o que fazemos no nosso dia a dia.
É a minha opinião.
Vale o que vale.
Pensem nisso.

Beijos a quem é de beijos, abraços a quem é de abraços.

12 comentários:

Marco Santos disse...

Olá, Ann
Vim retribuir a sua amável visita ao meu Antigas Ternuras e descubro uma pintora de fina sensibilidade. E que nos conta do seu processo criativo e eu sou particularmente interessando em saber como a criação funciona para os outros artistas.
Parabéns pelo seu quadro, é belíssimo.
Um beijo grande.

Narizinha disse...

Vim espreitar o blog! Parabéns!!
Beijocas

Otso i Mine disse...

Gostei do comentário final,
Nem mais...

Mais um belo quadro,
Cheio de simbolismo e de história antiga!

Continua...
Almaarea Na

Choninha disse...

"Pintar é deixar um pouco da sua alma. Ou mesmo toda."

Não conseguiria dizê-lo melhor. Parabéns Ana, pelos teus quadros e pelo blogue, que começa a ganhar forma.

Bom fim-de-semana

pintoribeiro disse...

Bom, bom, bom. Continuo a gostar. Muito. Abraço.

JMB a.k.a. GIRASSOL disse...

gostei do blog e da pintura.
bjs

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Ann
Agradeço e retribuo a visita e confesso que gostei muito deste teu espaço e dos teus trabalhos que são lindissimos.
Eu no Fantasy apenas brinco com fotografias, nada de especial, comparado com o que encontrei por aqui.
Se te apetecer leres-me podes passar pelo Meu Querido Diário, encontras o link no meu perfil, o blog que partilho com um amigo e onde faço o que gosto... escrever.
Gostei muito de passar por aqui.
Sempre que te apetecer és bem vinda quer no Fantasy quer no Diário.
Beijo e bom domingo

adesenhar disse...

retribuo a visita, é como dizes a 1ª.
A viagem que fiz pelo blog agradou-me,
de tal forma que já pintei o teu link na minha tela.
Vou entrar de férias, mas vou dando umas pinceladas virtuais por aqui sempre que tenha espaço.
:)
bjs

Cleopatra disse...

VIVA!
É uma honra a tua visita ao meu Blog.
Afinal ele é um pedaço de mim e um bocadinho do meu Mundo.
Sê sempre bem vinda.

Quanto à arte, ao teu comentário:
A arte, ou o que pintamos, escrevemos, esculpimos, fotografamos, dançamos, é sempre algo que nos sai das entranhas sem darmos por isso.
Por instinto.
Por instinto tudo tem prazer...tem naturalidade e uma infinita verdade.

É como dançar...é como escrever, tem sempre verdade a dança... e a escrita solta, ao sabor da imaginação e do sentir, sai das entranhas, da vontade de ser livre.

"Há um modo natural de fazer as coisas, há soluções naturais para os problemas.
Se agirmos de acordo com a natureza das coisas - o Tao -, conseguimos fazer tudo melhor e sem que isso nos crie nenhum problema. "


Também escreves muito bem.
Provavelmente porque escreves com a alma.

Também eu terei muito prazer em passar por aqui.
Até sempre.
Eu agradeço os beijos ! ; )

Klatuu o embuçado disse...

Belo!

addiragram disse...

Descubro-a porque...me descobriu...Uma maravilhosa surpresa a deste "Draco Constelation". Parabéns,pois!

RPM disse...

olá Ana...

Interessante este trabalho. Mesmo que tenha surgido do nada tem ali, parece-me, um conjunto de técnicas não antes usadas por ti....

um beijo e vou ver as outras obras...

estou com problemas no meu portátil...

RPM